Como Entender Sobre a Segurança Alimentar nas Embalagens

Ao longo dos últimos anos, o tema segurança alimentar vem assumindo grande importância em nossa sociedade, estimulando diferentes hábitos de consumo. Mas a preocupação vai muito além dos alimentos que consumimos, se expandindo para as embalagens que acomodam os alimentos e bebidas.

Mas, afinal, o que é Segurança Alimentar?

 

Segundo o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, a Segurança Alimentar diz respeito ao “direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras da saúde, que respeitem a diversidade cultural e que sejam ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentáveis".

 Para que o consumidor tenha um bom aproveitamento, é preciso que o fornecimento dos alimentos sejam de alta qualidade, desde o preparo até o armazenamento e a distribuição dos produtos para seus clientes como o controle de defensivos, a produção sustentável, o cuidado com a embalagem, a logística, dentre muitos outros. 

 

 

Quais os principais cuidados na escolha de uma embalagem e quais itens são fundamentais para a preservação da integridade do alimento.

 

Cada embalagem é feita para um determinado tipo de alimento, por esse motivo elas podem exercer diferentes funções:

 Função Primária: Embalagens que tem o contato direto com o alimento, tendo como função proteger contra agentes físicos, químicos e biológicos. Se atentando com a preocupação dos materiais escolhidos que podem acabar sendo um risco para a saúde humana ou causar modificações na composição ou nas características sensoriais dos alimentos. 
Sendo assim, devem ser adotados materiais que impeçam a migração de componentes tóxicos ou contaminantes, não deixando de atender os limites específicos estabelecidos pela ANVISA. 

Função Secundária: Embalagens responsáveis por agrupamento e/ou conveniência. 

Função Terciária: Embalagens associadas ao manuseio e/ou transporte. 



 E não é só isso não! Atualmente, vem se destacando as embalagens inteligentes, que podem monitorar dados através de sensores, como parâmetros de qualidade (temperatura, grau de amadurecimento), apresentando aos consumidores em tempo real informações mais confiáveis, preservando assim perdas, desperdícios e manuseios inadequados.  

Além de apresentarem vantagens com relação à rastreabilidade, capazes de monitorar, armazenar e compartilhar informações do processo, fazendo dela uma grande solução de uso, no qual chamamos de Indústria 4.0. Garantindo assim, informações de interesse para produtores e consumidores.

 

O grande desafio hoje é o fator sustentabilidade.

 

Conforme a Aliança de Embalagens Sustentáveis da Austrália, define-se embalagem como sendo sustentável, a partir de 4 critérios: 
  1. Efetividade – referente ao custo-benefício para todos na cadeia de produção;
  2. Eficiência – referente à utilização de recursos (materiais, energias, dentre outros) da forma mais eficiente possível;
  3. Sistema Cíclico – referente à capacidade das embalagens serem “recuperadas” pela indústria ou pelo ambiente; 
  4. Segurança – referente ao uso de materiais não poluentes ou tóxicos, que não provoquem danos aos humanos e ao ambiente.
 



 Porém, hoje em dia os principais materiais utilizados (plástico, vidro, metal), quando descartados incorretamente, apresentam problemas para o meio ambiente, por não serem reabsorvidos em um curto prazo de tempo, ou recuperados pela indústria em sua maioria. Por esse motivo, é mais comum universidades e empresas focarem no desenvolvimento de pesquisas, a fim de identificar produtos que sejam mais sustentáveis. 

 

Embalagem sustentável: duas soluções imperdíveis.

 

- O uso do biopolímero, que tem a capacidade de substituir polímeros derivados do petróleo, e quando introduzidos nos sistemas de compostagem demonstram baixo impacto ambiental.

- Utilização de embalagens de papel, pois fornecem alta qualidade de impressão, são adequadas aos objetivos do consumidor, são leves para carregar e fáceis de guardar. Seu custo é muito acessível, quando comparado a outras embalagens, além de trazer menos impactos para o meio ambiente. 

 

 A sustentabilidade tem como finalidade, fazer uso de novas tecnologias, por meio de um processo de melhoria contínua, que busca maximizar a distribuição do produto, assegurar o consumidor, minimizar a geração de resíduos e desperdícios, considerando a destinação final adequada, oferecendo um reaproveitamento de seu material, sem efeitos indesejáveis ao meio ambiente.

 O que você achou do tema segurança alimentar nas embalagens? Interessante? Então não deixe de compartilhar este texto nas redes sociais e ajude outras pessoas a ficarem por dentro do assunto!

 Fonte: Ideia Embalagens, Food Safety Brazil, Blog Jacto, EME Jr

Publicado em 25/02/2022 as 22:39 por Giovanna Inson

Categorias :

Posts

Compartilhe em suas redes sociais!


Últimas postagens / Blog